Cortar investimentos em marketing na crise é uma péssima ideia

...

Diante de crises ou recessões econômicas, o primeiro reflexo é a definição de prioridades para gastar menos. Quando as vendas começam a cair, as empresas, em geral, tomam determinadas providências: redução de preços, adiamento de novos investimentos e corte de custos.

Os primeiros cortes que as empresas costumam adotar é na área de marketing, comunicação e pesquisa. Mas é preciso ter muito cuidado. O corte indiscriminado de custos nessas áreas é um erro.

Durante uma crise, alguns pontos devem ser levados em consideração. O principal deles é o comportamento do consumidor que pode ser dividido em quatro grupos:

– Grupo pé no freio: É o segmento mais atingido e corta todos os tipos de gastos.

– Grupo abalado mas paciente: O maior segmento de todos, que também economiza em tudo, porém de forma mais tranquila e menos agressiva.

– Grupo tranquilo: É o segmento que o nível de consumo quase não se altera com a crise, só fica mais seletivo com menos ostentação.

– Grupo vive o presente: É o segmento de consumidores que age sempre da mesma forma quando uma crise aparece: adia compras de grande valor.

No momento de crise, para administrar o investimento no marketing da melhor forma possível sem cortes drásticos, o empreendedor precisa analisar e mensurar os grupos de consumidores que a empresa atende; avaliar as oportunidades disponíveis para a marca; alocar recursos para médio e longo prazo e equilibrar o orçamento.

Muitos economistas indicam que a forma mais sensata de enfrentar a crise é enxugar a carteira de serviços e produtos, torná-los mais acessíveis e reforçar a confiança do consumidor. E, para isso, o investimento no marketing é fundamental. As empresas precisam examinar minuciosamente as novas necessidades dos clientes perante a crise.

Portanto, os empreendedores precisam entender que o marketing deve fazer parte do negócio e ser estratégico. Assim o investimento na área será embasado em métricas, execução de prazos e processos que devem ser bem definidos para alcançar os resultados esperados. Algumas métricas de marketing são essenciais para que o empreendedor tome a melhor decisão de investimento: Custo de Aquisição de Clientes (CAC) e ROI.

O empreendedor precisa conhecer profundamente essas métricas, entender a mudança nos hábitos e no comportamento do consumidor e ajustar a estratégia, a melhor tática e as linhas de produto e serviço à uma nova realidade. Somente dessa forma será possível sobreviver à crise, sem cortar investimentos em marketing e fazer com a empresa prospere depois dela.

Além disso, na crise, as pessoas continuam consumindo, isso é fato. O que muda são as decisões de compra, que tendem a ser muito mais conservadoras. Se elas são conservadoras, as marcas consolidadas é que recebem mais atenção, certo? Com isso, as marcas que deixam de investir em marketing, tem uma tendência maior a serem esquecidas nesta época. Com isso, seu faturamento, só diminui!

Além disso, como o pensamento comum é de parar de investir em marketing, sua concorrência pode te dar uma excelente oportunidade de se tornar mais relevante do que eles. Você pode investir de maneira mais inteligente em marketing e ter melhores resultados! Só há vantagens em investir em marketing na crise!

E, para finalizar, a crise vai passar. Pode demorar, mas ela vai passar. E quando ela passar, sua marca estará muito mais consolidada e sólida. Com isso, quando o poder de compra voltar a crescer, seu faturamento será muito maior!

Fonte: Plugcitários